sábado, 25 de outubro de 2014

Peixoto reúne amigos e lideranças em prol de Henrique e João Maia


EM CAMPANHA
PREFEITO ANTÔNIO PEIXOTO REÚNE AMIGOS, CORRELIGIONÁRIOS E LIDERANÇAS PARA RATIFICAR E FORTALECER AINDA MAIS CANDIDATURAS DE HENRIQUE ALVES E JOÃO MAIA GOVERNADOR E VICE DO RN
O Prefeito de Ceará-Mirim, Antônio Peixoto-PR, reuniu na noite desta sexta-feira 24/10, em sua residências, cerca de 1.500 pessoas entre amigos, correligionários e lideranças políticas locais.
O encontro contou com a presença do deputado federal e candidato a vice-governador do Rio Grande do Norte, na chapa encabeçada pelo também deputado federal, Henrique Alves, João Maia, presidente regional do PR e da presidente estadual do PR Mulher, a ex-prefeita Shirley Targino.
Também participaram do encontro, o vice-prefeito de Ceará-Mirim, José Praxedes, os vereadores Marcos Túlio, Renato Coutinho, Paula Nogueira, Luciano Morais, Renato Martins (presidente da Câmara Municipal), além da primeira dama e presidente do PR Mulher de Ceará-Mirim, Ozeny Fernandes.
Na ocasião, o prefeito voltou a ressaltar a importância para Ceará-Mirim e o Rio Grande do Norte, a vitória de Henrique e João Maia, para conduzir os destinos do estado pelos próximos quatro anos. "Só eles têm condições de tirar o estado da situação em que se encontra. Portanto, neste domingo, vamos se vestir de verde, votar, ir pra rua, e cuidar dessa eleição porque ela é importante pra Ceará-Mirim, pra nós e para os nossos filhos", disse o prefeito.
João Maia chegou à residência do prefeito acompanhado da ex-prefeita e presidente regional do PR Mulher, Shirley Targino.
"Eu me sinto bem aqui em Ceará-Mirim e com vocês. E gostaria de dizer que Henrique, durante 44 anos na Câmara Federal aprendeu muito e sabe onde encontrar as soluções para os problemas do Rio Grande do Norte, diferentemente dos nossos adversários", frisou o parlamentar federal.
"Nós continuamos aqui, e não vamos arredar o pé até a vitória de Henrique e João Maia neste domingo dia 26, porque entendemos que é a melhor solução para a educação e para os demais problemas do nosso Estado", declarou ao final da reunião, a secretária de educação do município, Ângela Aquino.

Robinson tira do ar propaganda que critica Rosalba


O candidato do PSD, Robinson Faria, retirou do ar na Justiça trechos do programa eleitoral que criticavam o governo da sua principal aliada, a governadora Rosalba Ciarlini. As peças tratavam da crise vivida pelo Estado do Rio Grande do Norte na prestação de serviços básicos para a população nos últimos anos.

O RN vem atrasando o pagamento dos seus funcionários públicos, caiu para a penúltima colocação no ranking do Ideb, que mede o desenvolvimento do ensino fundamental e médio no país e não consegue atender a contento nos hospitais e serviços de saúde. Todos esses dados estavam presentes na propaganda eleitoral retirada do ar pelo candidato do PSD, que não admite críticas ao seu governo e de Rosalba Ciarlini.

Matéria completa: “O Planalto (Dilma e Lula) sabia de de tudo!”


Comparsa de Youssef na pilhagem da maior empresa brasileira, o ex-diretor Paulo Roberto Costa já declarara aos policiais e procuradores que nos governos do PT a estatal foi usada para financiar as campanhas do partido e comprar a fidelidade de legendas aliadas. Parte da lista de corrompidos já veio a público. Faltava clarear o lado dos corruptores. Na ter­ça-feira, Youssef apre­sentou o pon­­to até agora mais “estarrecedor” — para usar uma expressão cara à pre­sidente Dilma Rous­seff — de sua delação premiada. Perguntado sobre o nível de comprometimento de autoridades no esquema de corrupção na Petrobras, o doleiro foi taxativo:— O Planalto sabia de tudo!
— Mas quem no Planalto? — perguntou o delegado.
— Lula e Dilma — respondeu o doleiro.
Para conseguir os benefícios de um acordo de delação premiada, o criminoso atrai para si o ônus da prova. É de seu interesse, portanto, que não falsifique os fatos. Essa é a regra que Yous­sef aceitou. O doleiro não apresentou — e nem lhe foram pedidas — provas do que disse. Por enquanto, nesta fase do processo, o que mais interessa aos delegados é ter certeza de que o de­poente atuou diretamente ou pelo menos presenciou ilegalidades. Ou seja, querem estar certos de que não lidam com um fabulador ou alguém interessado apenas em ganhar tempo for­necendo pistas falsas e fazendo acu­sações ao léu. Youssef está se saindo bem e, a exemplo do que se passou com Paulo Roberto Costa, o ex-diretor da Petrobras, tudo indica que seu processo de delação premiada será homologado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Na semana passada, ele aumentou de cerca de trinta para cinquenta o número de políticos e autoridades que se valiam da corrupção na Petrobras para financiar suas campanhas eleitorais. Aos investigadores, Youssef detalhou seu papel de caixa do esquema, sua rotina de visitas aos gabinetes poderosos no Executivo e no Legislativo para tratar, em bom português, das operações de lavagem de dinheiro sujo obtido em transações tenebrosas na estatal. Cabia a ele expatriar e trazer de volta o dinheiro quando os envolvidos precisassem.
Uma vez feito o acordo, Youssef terá de entregar o que prometeu na fa­se atual da investigação. Ele já con­tou que pagava em nome do PT mesadas de 100 000 a 150 000 reais a parlamentares aliados ao partido no Congresso. Citou nominalmente a ex-mi­nistra da Casa Civil Gleisi Hoff­mann, a quem ele teria repassado 1 mi­lhão de reais em 2010. Youssef disse que o dinheiro foi entregue em um shopping de Curitiba. A senadora ne­gou ter sido beneficiada.
Entre as muitas outras histórias consideradas convincentes pelos investigadores e que ajudam a determinar a alta posição do doleiro no esquema — e, consequentemente, sua relevância pa­ra a investigação —, estão lembranças de discussões telefônicas entre Lula e o ex-deputado José Janene, à época líder do PP, sobre a nomeação de operadores do partido para cargos estratégicos do governo. Youssef relatou um episódio ocorrido, segundo ele, no fim do governo Lula. De acordo com o doleiro, ele foi convocado pelo então presidente da Petrobras, Sergio Gabrielli, para acalmar uma empresa de publicidade que ameaçava explodir o esquema de corrupção na estatal. A empresa quei­xa­va-­se de que, depois de pagar de forma antecipada a propina aos políticos, tive­ra seu contrato rescindido. Homem da confiança de Lula, Gabrielli, segundo o doleiro, determinou a Youssef que captasse 1 milhão de reais entre as empreiteiras que participavam do petrolão a fim de comprar o silêncio da empresa de publicidade. E assim foi feito.
Gabrielli poderia ter realizado toda essa manobra sem que Lula soubesse? O fato de ter ocorrido no governo Dilma é uma prova de que ela estava conivente com as lambanças da turma da estatal? Obviamente, não se pode condenar Lula e Dilma com base apenas nessa narrativa. Não é disso que se trata. Youssef simplesmente convenceu os investigadores de que tem condições de obter provas do que afirmou a respeito de a operação não poder ter existido sem o conhecimento de Lula e Dilma — seja pelos valores envolvidos, seja pelo contato constante de Paulo Roberto Costa com ambos, seja pelas operações de câmbio que fazia em favor de aliados do PT e de tesoureiros do partido, seja, principalmente, pelo fato de que altos cargos da Petrobras envolvidos no esquema mudavam de dono a partir de ordens do Planalto.
Os policiais estão impressionados com a fartura de detalhes narrados por Youssef com base, por enquanto, em sua memória. “O Vaccari está enterrado”, comentou um dos interrogadores, referindo-se ao que o do­leiro já narrou sobre sua parceria com o tesoureiro nacional do PT, João Vaccari Neto. O doleiro se comprometeu a mostrar documentos que comprovam pelo menos dois pagamentos a Vaccari. O dinheiro, desviado dos cofres da Petrobras, teria sido repassado a partir de transações simuladas entre clientes do banco clandestino de Youssef e uma empresa de fachada criada por Vaccari. O doleiro preso disse que as provas desses e de outros pagamentos estão guardadas em um arquivo com mais de 10 000 notas fiscais que serão apresentadas por ele como evidências. Nesse tesouro do crime organizado, segundo Youssef, está a prova de uma das revelações mais extraordinárias prometidas por ele, sobre a qual já falou aos investigadores: o número das contas secretas do PT que ele operava em nome do partido em paraísos fiscais. Youssef se comprometeu a ajudar a PF a localizar as datas e os valores das operações que teria feito por instrução da cúpula do PT.
Depois da homologação da de­lação premiada, que parece assegurada pelo que ele disse até a semana passada, Youssef terá de apresentar à Justiça mais do que versões de episódios públicos envolvendo a presidente. Pela posição-chave de Youssef no esquema, os investigadores estão con­fiantes em que ele produzirá as provas necessárias para a investigação prosseguir. Na semana que vem, Alberto Youssef terá a oportunidade de relatar um episódio ocorrido em março deste ano, poucos dias antes de ser preso. Youssef dirá que um integrante da ­coor­­denação da campanha presidencial do PT que ele conhecia pelo nome de “Felipe” lhe telefonou para marcar um encontro pessoal e adiantou o assunto: repatriar 20 milhões de reais que seriam usados na cam­panha presidencial de Dilma Rous­seff. Depois de verificar a origem do telefonema, Youssef marcou o encontro que nunca se concretizou por ele ter se tornado hóspede da Polícia Federal em Curitiba. Procurados, os defensores do doleiro não quiseram comentar as revelações de Youssef, justificando que o processo corre em segredo de Justiça. Pelo que já contou e pelo que promete ainda entregar aos investigadores, Youssef está materializando sua amea­ça velada feita dias atrás de que iria “chocar o país”.

DINHEIRO PARA O PT 


Alberto Youssef também voltou a detalhar os negócios que mantinha com o tesoureiro nacional do PT, João Vaccari Neto, homem forte da campanha de Dilma e conselheiro da Itaipu Binacional. Além de tratar dos interesses partidários com o dirigente petista, o doleiro confi rmou aos investigadores ter feito pelo menos duas grandes transferências de recursos a Vaccari. O dinheiro, de acordo com o relato, foi repassado a partir de uma simulação de negócios entre grandes companhias e uma empresa-fantasma registrada em nome de laranjas mas criada pelo próprio Vaccari para ocultar as operações. Ele nega

ENTREGA NO SHOPPING


Alberto Youssef confirmou aos investigadores o que disse o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa sobre o dinheiro desviado da estatal para a campanha da exministra da Casa Civil Gleisi Hoffmann (PT-PR) ao Senado, em 2010. Segundo ele, o repasse dos recursos para a senadora petista, no valor de 1 milhão de reais, foi executado em quatro parcelas. As entregas de dinheiro foram feitas em um shopping center no centro de Curitiba. Intermediários enviados por ambos entregaram e receberam os pacotes. Em nota, a senadora disse que não recebeu nenhuma doação de campanha nem conhece Paulo Roberto Costa ou Alberto Youssef.

ELE TAMBÉM SABIA


Durante o segundo mandato de Lula, o doleiro contou que foi chamado pelo presidente da Petrobras, José sergio Gabrielli, para tratar de um assunto que preocupava o Planalto. Uma das empresas com contratos de publicidade na estatal ameaçava revelar o esquema de cobrança de pedágio. Motivo: depois de pagar propina antecipadamente, a empresa teve seu contrato rescindido. Ameaçado pelo proprietário, Gabrielli pediu ao doleiro que captasse 1 milhão de reais com as empreiteiras do esquema e devolvesse a quantia à empresa de publicidade. Gabrielli não quis se pronunciar

CONTAS SECRETAS NO EXTERIOR


Desde que Duda Mendonça, o marqueteiro da campanha de Lula em 2002, admitiu na CPI dos Correios ter recebido pagamentos de campanha no exterior (10 milhões de dólares), pairam sobre o partido suspeitas concretas da existência de dinheiro escondido em paraísos fi scais. Para os interrogadores de Alberto Youssef, no entanto, essas dúvidas estão começando a se transformar em certeza. O doleiro não apenas confi rmou a existência das contas do PT no exterior como se diz capaz de ajudar a identifi cá-las, fornecendo detalhes de operações realizadas, o número e a localização de algumas delas.

UM PERSONAGEM AINDA OCULTO


O doleiro narrou a um interlocutor que seu esquema criminoso por pouco não atuou na campanha presidencial deste ano. Nos primeiros dias de março, Youssef recebeu a ligação de um homem, identifi cado por ele apenas como “Felipe”, integrante da cúpula de campanha do PT. Ele queria os serviços de Youssef para repatriar 20 milhões de reais que seriam usados no caixa eleitoral. Youssef disse que chegou a marcar uma segunda conversa para tratar da operação, mas o negócio não foi adiante porque ele foi preso dias depois. Esse trecho ainda não foi formalizado às autoridades.



ATÉ A MÁFIA FALOU – Tommaso Buscetta, o primeiro mafi oso a fazer delação premiada. Na Sicília, seu sobrenome virou xingamento
​Quem delata pode mentir?
Alexandre Hisayasu
A delação premiada tem uma regra de ouro: quem a pleiteia não pode mentir. Se, em qualquer momento, fi car provado que o delator não contou a verdade, os benefícios que recebeu como parte do acordo, como a liberdade provisória, são imediatamente suspensos e ele fica sujeito a ter sua pena de prisão aumentada em até quatro anos.
Para ter validade, a delação premiada precisa ser combinada com o Ministério Público e homologada pela Justiça. O doleiro Alberto Youssef assinou o acordo com o MP no fi m de setembro. Desde então, vem dando depoimentos diários aos procuradores que investigam o caso Petrobras. Se suas informações forem consideradas relevantes e consistentes, a Justiça – nesse caso, o Supremo Tribunal Federal, já que o doleiro mencionou políticos – homologará o acordo e Youssef será posto em liberdade, como já ocorreu com outro delator envolvido no mesmo caso, Paulo Roberto Costa. O ex-diretor da Petrobras deu detalhes ao Ministério Público e à Polícia Federal sobre o funcionamento do esquema milionário de pagamento de propinas que funcionava na estatal e benefi ciava políticos de partidos da base aliada do governo. Ele já deixou a cadeia e aguarda o julgamento em liberdade. O doleiro continua preso.
Até o ano passado, a lei brasileira previa que o delator só poderia usufruir os benefícios do acordo de delação ao fi m do processo com o qual havia colaborado – e se o juiz assim decidisse. Ou seja, apenas depois que aqueles que ele tivesse incriminado fossem julgados é que a Justiça resolveria se o delator mereceria ganhar a liberdade. Desde agosto de 2013, no entanto, esses benefícios passaram a valer imediatamente depois da homologação do acordo. “Foi uma forma de estimular a prática. Você deixa de punir o peixe pequeno para pegar o grande”, diz o promotor Arthur Lemos Júnior, que participou da elaboração da nova lei.
Mais famoso – e prolífero – delator da história recente, o mafi oso Tommaso Buscetta levou à cadeia cerca de 300 comparsas. Preso no Brasil em 1983, fechou acordo com a Justiça italiana e foi peça-chave na Operação Mãos Limpas, responsável pelo desmonte da máfi a siciliana. Depois disso, conseguiu proteção para ele e a família e viveu livre nos Estados Unidos até sua morte, em 2000.

União deixou de investir R$ 21 bilhões em segurança pública em 13 anos


A segurança pública ganhou os debates eleitorais da corrida presidencial, o que ocasionou troca de acusações entre os candidatos que formam o segundo turno. Os dados, no entanto, são claros. Entre 2001 e 2013, as seis unidades orçamentárias que possuem relação direta com segurança pública deixaram de desembolsar R$ 21 bilhões para iniciativas do setor. O nível de recursos autorizados para segurança pública no período somou R$ 137,9 bilhões. No entanto, os desembolsos efetivamente realizados foram de R$ 116,9 bilhões.
Os valores utilizados pelo Contas Abertas foram atualizados pelo IGP-DI, da Fundação Getúlio Vargas. Em termos de investimentos, a situação não foi diferente. Cerca de R$ 10,4 bilhões deixaram de ser aplicados em obras e compra de equipamentos de segurança pública nos últimos 13 anos. Dos R$ 23,4 bilhões autorizados em orçamento no período, apenas R$ 13 bilhões foram executados.
Em 2014, o ritmo de execução não deve mudar. Até o momento, R$ 3,7 bilhões do orçamento geral das unidades não tiveram destino. Já nos investimentos, R$ 888,1 milhões ainda não foram aplicados este ano. O levantamento do Contas Abertas levou em conta a Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Fundo Penitenciário Nacional (Funpen), Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP) , o Fundo de Aparelhamento da PF e o Ministério da Justiça (MJ).

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Tv Cabugi fala motivo porque não divulgou pesquisa


Acabei de falar com setor de jornalismo da Inter TV Cabugi que me informou que a pesquisa para governo do RN só será divulgada amanhã pois o Ibope queria ouvir a opinião do eleitor depois do debate que aconteceu ontem na TV Cabugi e com isso ouver um atraso na coleta dos dados

Polícia Civil apreende animais silvestres usados em atividades turísticas em Pitangui e Muriú


Os policias civis da Delegacia Especializada do Meio Ambiente (DEPREMA) realizaram na manhã desta sexta-feira (24) operação que resultou na apreensão de 7 iguanas que eram utilizadas para fins comerciais com turistas.

Após denúncias, a equipe policial dirigiu-se até as dunas entre as praias de Pitangui e Muriú. No local foi constatado que os animais encontravam-se cegos ou com a coluna vertebral lesionada e eram usados para que turistas tiram-se fotos com os mesmos.

Contando com as instalações da delegacia móvel, cinco homens assinaram termo circunstanciado de ocorrência e três adolescentes assinaram boletim de ocorrência circunstanciado por utilização de animais silvestre para fins lucrativos e maus tratos.

As iguanas apreendidas foram levadas até o Aquário de Natal para que após triagem e cuidados veterinários sejam encaminhadas ao IBAMA e reinseridas no meio ambiente.

PESQUISA DO IBOPE SÓ AMANHÃ


Depois de uma expectativa que causava taquicardia, a Inter TV Cabugi não divulgou o resultado de pesquisa Ibope. O trabalho apontaria o cenário da disputa entre Henrique Alves (PMDB) e Robinson Faria (PSD) para o segundo turno no Rio Grande do Norte. Ficou para amanhã (25)…


PRE entrega recomendação às assessorias contra “chuva de santinhos” no RN

A Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) se reunirá na tarde desta sexta-feira (24) com as assessorias dos candidatos ao Governo do Estado e à Presidência da República (no Rio Grande do Norte), para entregar recomendações quanto a propagandas ilegais que possam ser praticadas durante este final de semana. A reunião contará com a participação dos procuradores regionais eleitorais auxiliares Cibele Benevides e Kleber Martins e do promotor eleitoral Manoel Onofre Neto.

Uma das preocupações do Ministério Público Eleitoral é que não se repitam os casos registrados na votação do primeiro turno, quando a PRE teve de representar contra mais de 30 candidatos que sujaram as ruas com “santinhos”, estratégia conhecida como “voo da madrugada”.

Além da distribuição ilegal de materiais gráficos como panfletos e adesivos, a recomendação também alerta que será proibido promover caminhadas, carreatas, passeatas ou uso de carros de som, após 22h do sábado, dia 25.

A reunião ocorrerá às 14h30, na sede da PR/RN, e foram convidadas as assessorias das coligações União pela Mudança e Liderados pelo Povo, bem como dos diretórios regionais do Partido dos Trabalhadores (PT) e do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB).

TRT-RN na TV: Justiça & Trabalho discute os direitos trabalhistas dos atletas


Apesar do resultado negativo na última Copa do Mundo, o Brasil ainda é o país com o maior número de títulos mundiais no futebol, além de ter milhares de jogadores (amadores ou profissionais) sonhando com uma carreira de sucesso no país ou pelos gramados do mundo.

No Brasil, a chamada Lei Pelé regula as relações de trabalho entre atletas e clubes e é por meio dela que os conflitos nesse campo têm deixado, cada vez mais, a área do direito desportivo para invadir os gramados da Justiça do Trabalho.

Para analisar as razões e os efeitos dessa migração, o programa Justiça & Trabalho desta semana recebe o desembargador do TRT-RN, Eridson Medeiros.

O programa também mostra a homenagem prestada pelo Tribunal Regional do Trabalho do Rio Grande do Norte a autoridades e profissionais, com a entrega das medalhas do mérito Djalma Marinho e Seabra Fagundes.

O Justiça & Trabalho também mostra, no quadro Meu Trabalho, Minha Arte, a técnica e precisão necessários a um técnico ótico e, em seguida, o instrumentista Zé Hilton revela, no quadro Profissão Artista, os segredos para quem quer se tornar um bom sanfoneiro.

Produzido pelo TRT do Rio Grande do Norte, o programa Justiça & Trabalho pode ser visto semanalmente na TV Assembléia/RN, em Natal, às segundas (21h) e terças (18:30h), no canal aberto (50 UHF) e na TV a Cabo (canal 9).

A TV MIX Brasil apresenta o Justiça & Trabalho em três horários: segunda (13:30h), quarta (22:00h) e sexta (13:30h), aos sábados e domingos (17:30h) e pode ser sintonizada em Natal na Cabo TV (Canal 28 e 128 digital) e no Canal 27 da NET Natal.

Na TV Potiguar, o programa pode ser visto nas segundas-feiras, a partir das 13h, e nas quintas, às 21h, no Canal 23 (Cabo Telecom) ou 133 (Cabo Digital).
Em Mossoró, o Justiça & Trabalho é exibido pela TV Mossoró, às quartas (21h30) e aos sábados (14h30).

O Justiça & Trabalho também é transmitido para todo Brasil pela TV Justiça, aos sábados (17h30), aos domingos (6h30) e às segundas (7h30).
A TV Justiça pode ser sintonizada em Natal nos canais ACOM (canal 26) e Cabo serviços (canais 33 e 140).

Ponto Facultativo


CEARÁ-MIRIM
DIA DO SERVIDOR PÚBLICO
PREFEITO ANTÔNIO PEIXOTO DECRETA PONTO FACULTATIVO NESTA SEGUNDA-FEIRA 27 DE OUTUBRO
Na próxima terça-feira 28 de outubro, será feriado em comemoração ao dia do servidor público.
O prefeito de Ceará-Mirim, Antônio Peixoto, decretou Ponto Facultativo na segunda-feira 27/10, não havendo portanto, expediente nas repartições públicas municipais e autárquicas.
O ato passou a vigorar desde a última terça-feira 21 de outubro de 2014, data da publicação do Decreto nº 2.321 de 21 de outubro de 2014.
A medida ressalva as condições dos funcionários lotados em órgãos de serviços considerados essenciais à população, casos de: Hospital Percílio Alves, Programa Estratégia Saúde da Família, Limpeza Pública, Plantão do SAAE e Guarda Municipal.
O Decreto também prevê que fica a cargo das secretarias municipais exercer atividades internas, caso haja necessidade.
De acordo com o Decreto, na terça-feira 28/10, também não terá expediente em função do DIA DO SERVIDOR PÚBLICO que é comemorado nesta data, e o dia 27/10 (segunda-feira), sucede o domingo 26/10, dia da votação para o 2º Turno das Eleições Gerais no Brasil.

Peixoto encerra campanha de Henrique com chave de ouro



ELEIÇÕES 2014
ENCERRAMENTO
PREFEITO PEIXOTO ENCERRA CAMPANHA EM PROL DE HENRIQUE E JOÃO MAIA COM GRANDE ARRASTÃO PELAS RUAS DE CEARÁ-MIRIM
Milhares de pessoas estiveram marcando presença na noite desta quinta-feira 23/10, no grande arrastão de encerramento da campanha em prol das candidaturas de Henrique Alves governador, João Maia vice-governador, em Ceará-Mirim, liderada pelo prefeito Antônio Peixoto-PR.
Pessoas de todos os recantos do município marcaram presença na mobilização, numa demonstração de força do grupo político liderado pelo prefeito Peixoto.
A mobilização, que teve concentração no bairro São Geraldo, percorreu várias ruas do centro de Ceará-Mirim, foi encerrada no cruzamento das ruas São João com o prolongamento da Oscar Brandão, próximo ao Camurupim.
O comício de encerramento marcou ainda a demonstração pública de apoio do prefeito Peixoto e de seu grupo, a Henrique Alves governador e João Maia vice-governador.
O evento também marcou uma homenagem do grupo ao movimento "Outubro Rosa", campanha de combate ao câncer de colo de útero e de mama.
Além do vice-prefeito do município José Praxedes, de vereadores como Renato Martins, Jácio Praxedes, Renato Coutinho, Marcos Túlio, Paula Morais, Luciano Morais, o prefeito de Extremoz Kláus Rêgo, da presidente do PR Mulher de Ceará-Mirim, Ozeny Fernandes, entre outras lideranças, a mobilização contou também com a presença da deputada federal eleita pelo PR, médica Zenaide Maia.
Emocionado, o prefeito Peixoto destacou a importância da eleição de Henrique e João Maia, não apenas para Ceará-Mirim, mas para o Rio Grande do Norte.
De acordo com o prefeito, Ceará-Mirim tem, no próximo domingo dia 26, uma oportunidade histórica de eleger um governador e um vice-governador que conhecem a realidade local e dispostos a trabalhar pelo município.
O prefeito, agradeceu o apoio dos cearamirinenses e reforçou os compromissos dos seus candidatos com o município de Ceará-Mirim.
A deputada federal eleita, Zenaide Maia, por sua vez, agradeceu a acolhida dos cearamirinenes que abraçaram a sua candidatura conduzindo a sua campanha com alegria e determinação, elegendo-a parlamentar federal. "João Maia é um irmão de Peixoto, e eu estou aqui aumentando essa família. Vou agradecer a Ceará-Mirim com trabalho e não com palavras", disse a deputada eleita Zenaide Maia.
"Ceará-Mirim me deu uma demonstração de carinho impressionante, que só posso retribuir trabalhando muito para corresponder à expectativa em mim depositada. A conquista deste mandato como deputada federal é uma vitória de todos nós", concluiu a deputada eleita.
O prefeito Antônio Peixoto, agradeceu a Deus em primeiro lugar, por esta campanha maravilhosa. Depois agradeceu aos seus familiares, ao vice-prefeito, aos vereadores, pelo trabalho insessante e, principalmente a população de Ceará-Mirim pelo apoio e por confiarem em um candidato do povo.
Com o grande arrastão pelas ruas de Ceará-Mirim e o comício de encerramento, o prefeito Antônio Peixoto, encerrou com chave de ouro a campanha para Henrique governador e João Maia vice, em Ceará-Mirim.

Confira mais fotos:










Juiz determina que Estado convoque os 824 concursados da Polícia Militar


O juiz Cícero Martins de Macedo Filho, da 4ª Vara da Fazenda Pública, emitiu uma sentença, nesta quinta-feira (23), determinando que o Governo do Estado convoque os 824 concursados da Polícia Militar para o curso de formação de soldado. De acordo com o magistrado, “ter-se-a maior sensação de segurança, ter-se-a sensação de realização de justiça. O serviço público que será prestado por esses candidatos será, por certo, uma representação singular de justiça social”.

A determinação partiu de uma ação da Associação dos Praças da Polícia Militar (Aspra). O juiz Cícero Martins escreveu em sua decisão: “o sentimento deste julgador, assim como de toda a sociedade, é que a segurança pública, dever do Estado e responsabilidade de todos, precisa ser melhorada no Estado do Rio Grande do Norte, e o ingresso dos 824 candidatos que estão aptos a participar das demais fases do concurso sem dúvida será um grande reforço. Não pode o Judiciário, neste momento de angústia em razão da insegurança, deixar de concretizar o texto constitucional na questão da segurança pública, pois ele é um reflexo da esfera pública e do desenvolvimento da cidadania como mecanismo político-jurídico de inclusão social”.

Ele ressalta que: “embora o eventual ingresso de todas essas pessoas nos quadros da PMRN não venha a ser a solução dos problemas da segurança pública, com certeza contribuirá para a sua melhora. E há orçamento para tanto, pois é obrigação do Estado, que não conseguiu concluir correta e legalmente o concurso, arcar com esse ônus, que não comprometerá o chamado limite prudencial, já que haverá uma decisão judicial a respaldar o dispêndio”.

A decisão de convocação é referente ao Concurso Público relativo ao Edital nº 001/2005. A sentença estabelece que sejam convocando todos os candidatos aprovados na 2ª fase (resultado publicado no DOE de 08/10/2013) e aqueles cuja relação de nomes se encontra nos autos (representados pela ASPRA/RN) para a 3ª fase do certame, devendo ser realizada a inscrição dos aprovados na etapa seguinte, correspondente ao Curso de Formação de Soldados, e após colhidos o resultados, realizada a promoção dos aprovados ao cargo de Soldado PM/RN.

Deverão ser publicados no Diário Oficial do Estado os resultados de todas as fases que forem realizadas, passando o prazo prescricional do concurso a ser contado a partir da publicação da última fase (quarta).

ISTOÉ/Sensus: Aécio lidera com nove pontos de vantagem sobre Dilma


Pesquisa ISTOÉ/Sensus realizada a partir da terça-feira 21 reafirma a liderança de Aécio Neves (PSDB) sobre a petista Dilma Rousseff nos últimos dias da disputa pela sucessão presidencial. Segundo o levantamento que entrevistou 2 mil eleitores de 24 Estados, o tucano soma 54,6% dos votos válidos, contra 45,4% obtidos pela presidenta Dilma Rousseff. Uma diferença de 9,2 pontos percentuais, o que equivale a aproximadamente 12,8 milhões de votos. A pesquisa também constatou que a dois dias das eleições 11,9% do eleitorado ainda não decidiu em quem votar. “Como no primeiro turno, deverá haver uma grande movimentação do eleitor no próprio dia da votação”, afirma Ricardo Guedes, diretor do Instituto Sensus. Se for considerado o número total de votos, a pesquisa indica que Aécio conta com o apoio de 48,1% do eleitorado e a candidata do PT 40%.
De acordo com Guedes, a pesquisa realizada em cinco regiões do País e em 136 municípios revela que o índice de rejeição à candidatura de Dilma Rousseff se mantém bastante elevado para quem disputa. 44,2% dos eleitores afirmaram que não votariam na presidenta de forma alguma. A rejeição contra o tucano Aécio Neves é de 33,7%. Segundo o diretor do Sensus, a taxa de rejeição pode indicar a capacidade de crescimento de cada um dos candidatos. Quanto maior a rejeição, menor a possibilidade de crescimento. Outro indicador apurado pela pesquisa Istoé/Sensus diz respeito á votação espontânea, quando nenhum nome é apresentado para o entrevistado. Nessa situação, Aécio também está à frente de Dilma, embora a petista esteja ocupando a Presidência da República desde janeiro de 2011. O tucano é citado espontaneamente por 47,8% dos eleitores e a petista por 39,4%. 0,2% citaram outros nomes e 12,8% disseram estar indecisos ou dispostos a votar em branco.

PESQUISA ISTOÉ/Sensus
Realização – Sensus
Registro na Justiça Eleitoral – BR-01166/2014
Entrevistas – 2.000, em cinco regiões, 24 estados e 136 municípios do País
Metodologia – Cotas para sexo, idade, escolaridade, renda e urbano e rural
Campo – De 21 a 24 de outubro
Margem de erro – +/- 2,2%
Confiança – 95%

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Ibope fará boca de urna no Rio Grande do Norte


Os entrevistadores do Ibope caem em campo no próximo domingo (26), para entrevistar quatro mil eleitores potiguares. E a pergunta é direta: o candidato para governador e presidente. Contudo, o instituto não divulgou quais os municípios contemplados com a amostragem.



Ezequiel participa de passeatas a favor de Henrique no Agreste


Deputado estadual mais votado do PMDB no Agreste Potiguar, Ezequiel Ferreira participou de duas grandes mobilizações na noite desta quarta-feira (22). Primeiro Ezequiel esteve em Serra de São Bento, ao lado do ex-prefeito Chico de Erasmo (PMDB), maior liderança da cidade. Ezequiel foi o deputado estadual mais votado da história da cidade serrana.
Ainda a favor da campanha de Henrique Alves ao Governo do Estado, Ezequiel esteve na passeata em Nova Cruz, maior cidade do Agreste. Ao lado do ex-prefeito Flávio Azevedo, maior liderança do PMDB na cidade, Ezequiel recebeu o futuro governador Henrique Alves.
“Estamos participando de mobilizações, passeatas e comício de Henrique em todas as regiões do Estado. Estamos vendo a empolgação do povo e até domingo as urnas vão mostrar novamente a vitória de Henrique”, disse o deputado Ezequiel Ferreira, reeleito com mais de 54 mil votos para a Assembleia Legislativa.