OFERTAS

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

BNDES aprova R$ 97,2 milhões para desenvolvimento de vacina de Dengue


Estima-se que vacina beneficie cerca de 180 milhões de pessoas no Brasil 
O estudo clínico Fase III será integralmente realizado no Brasil em 14 centros de pesquisa 
Serão recrutados cerca de 17 mil voluntários nas quatro regiões do país 

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou apoio não reembolsável no valor de R$ 97,2 milhões à Fundação Butantan, para o desenvolvimento de vacina tetravalente contra a dengue. 
Os recursos, do Fundo Tecnológico do BNDES (BNDES Funtec), correspondem a 31% do investimento total, de R$ 305,5 milhões, e serão destinados ao custeio de ensaios clínicos e construção da planta de escalonamento para fornecimento da vacina. 
O BNDES Funtec é uma forma de apoio financeiro não reembolsável a projetos de pesquisa aplicada, desenvolvimento tecnológico e inovação. 
Trata-se da continuidade do apoio do BNDES, em conjunto com o Ministério da Saúde, para o desenvolvimento da vacina de dengue pelo Instituto Butantan, uma iniciativa extremamente importante para a saúde pública, não só para o Brasil, mas para vários outros países em que a doença é endêmica. 
O projeto contribuirá ainda para a evolução das competências técnicas necessárias para o desenvolvimento de vacinas no País e formação de equipes qualificadas para condução de estudos clínicos. 
Considerando a faixa etária de indicação da vacina de dengue, o público beneficiado pela vacina será de cerca de 180 milhões de pessoas no Brasil, quase a totalidade da população. Apesar de ser esperado que a disponibilização da vacina se dê em âmbito nacional, seu impacto será mais fortemente sentido nas regiões endêmicas — em geral, as mais carentes do país, com saneamento básico precário e alta densidade populacional. 
Vacinas – As vacinas são produtos biológicos baseados em organismos vivos, com estruturas moleculares complexas, e seus processos de desenvolvimento e produção podem variar consideravelmente. 
Os processos de pesquisa e desenvolvimento, registro e produção de vacinas têm elevado custo e complexidade, com tempo médio de desenvolvimento de 12 anos e custo total que pode atingir US$ 1 bilhão. 
O projeto – O ensaio clínico em desenvolvimento pelo Instituto Butantan – o maior já realizado integralmente no Brasil - tem o objetivo de avaliar a eficácia e segurança da vacina em um grupo abrangente de voluntários. 
O estudo será integralmente realizado no Brasil, em parceria com o Instituto Adolfo Lutz e 14 centros de pesquisa, sob coordenação da USP, envolvendo aproximadamente 17 mil voluntários. O desenvolvimento clínico tem transcorrido de forma satisfatória, com resultados preliminares que demonstram segurança e eficácia da vacina. 
A planta de escalonamento será utilizada na etapa final dos testes clínicos e, uma vez registrada a vacina, estará apta a produzir 24 milhões de doses ao ano. 
Dengue – Transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, a dengue é uma doença infecciosa viral que se espalha rapidamente pelo mundo, sendo endêmica em mais de 100 países na África, nas Américas, no Mediterrâneo Oriental, no Sudeste Asiático e no Pacífico Ocidental. 
A incidência global da doença aumentou 30 vezes nos últimos 30 anos, com ampliação e expansão geográfica para novos países. Os motivos para a disseminação não são claros, mas parecem relacionados à propagação do vetor (mosquito) em regiões de clima quente e chuvoso, com infraestrutura precária de saneamento básico. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), estima-se cerca de 390 milhões de casos de dengue no mundo. 
No Brasil, o maior surto ocorreu em 2013, com cerca de 2 milhões de notificações. Esse ano, até setembro, foi registrado mais de 1,4 milhão de casos prováveis, com 563 mortes confirmadas. 
Fundação – A Fundação Butantan é uma entidade sem fins lucrativos, com autonomia financeira, administrativa e patrimonial, sediada em São Paulo, que atua como o braço financeiro e administrativo do Instituto Butantan. 
Estatutariamente, a Fundação Butantan tem como principal atribuição apoiar o desenvolvimento de atividades científicas, tecnológicas, culturais e de assistência social do Instituto. 
A Fundação é beneficiária de três operações do BNDES Funtec para projetos relativos ao desenvolvimento de vacinas (dengue, rotavírus, leishmaniose canina, BCG – Pertussis e outras) e de um medicamento para tratamento de câncer. 
Prioridade - o apoio ao desenvolvimento da vacina da dengue soma-se ao esforço do BNDES em direcionar recursos relevantes para o enfrentamento das principais epidemias brasileiras, de alto impacto social. Em novembro, o Banco aprovou também R$ 23 milhões para a Fiocruz, destinados ao desenvolvimento de kits de diagnóstico para zika, dengue e chikungunya e ações de combate ao Aedes aegypti.



Nenhum comentário: