OFERTAS

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

HISTÓRICA MARCHA CONTRA O ABORTO NOS EUA

Por Paulo Roberto Campos


Monumental manifestação contra o aborto, no dia 27 último, atraiu centenas de milhares de participantes, provenientes de todos os Estados do país, à capital norte-americana.

A March For Life é realizada todos os anos em Washington, normalmente na última semana de janeiro, época de intenso frio, mas que não impede a grandiosa manifestação.


Nesta 44ª edição, a gigantesca Marcha contou com a presença do vice-presidente americano Mike Pence. Defensor dos valores da instituição familiar, ele afirmou em seu discurso que se sentia muito honrado por ser o primeiro vice-presidente a ter o privilégio participar da Marcha, que a oposição ao aborto está ganhando terreno no país, e que atuará para que esse crime não seja mais permitido nos EUA.

Em uma de suas primeiras medidas, o novo governo americano deu um basta ao financiamento de ONGs abortistas, incluindo a maior delas — a Planned Parenthood, envolvida em escândalos de venda de fetos abortados em suas clínicas.

Donald Trump registrou em seu twitter: “A March For Life é muito importante. Todos que protestam hoje têm meu apoio absoluto!”.

Certos setores esquerdistas da grande mídia tentaram ignorar essa Marcha, mas outros setores publicaram e seus noticiários reproduzem inúmeros comentários de manifestantes esperançosos de que no atual governo sejam aprovadas leis que garantam a vida dos bebês no ventre materno, de tal modo que as mães possam gerá-los e dá-los à luz tranquilamente, sem pressões de médicos aborteiros, de pessoas inescrupulosas e de ONGs, e que a prática do aborto seja criminalizada, diminuindo assim a carnificina de inocentes.


O movimento anti-aborto tem crescido em muitos países, mas, sobretudo, na geração mais nova americana — denominada Pro Life Generation —, como se pode observar nas filmagens e fotos da multidão. Esses jovens esperam que proximamente seja revogada a iníqua sentença “Roe vs. Wade”, resolução do Supremo Tribunal americano que aprovou o aborto em 1973. Para isso, vão organizar uma série de eventos, aproveitando a existência na opinião pública do país de um anseio pelo retorno à ordem na família e na sociedade em geral.


Desde o ano da aprovação do aborto nos EUA, a TFP americana participa da March For Life, estimulando os participantes com seus estandartes rubro-áureos e sua fanfarra, como se pode notar nas fotos que seguem.

Na ocasião, a TFP americana distribuiu um comunicado intitulado “Para tornar a América grande, voltada para Deus”. Organizações anti-aborto — coirmãs daquela TFP — da Alemanha, Colômbia, Irlanda, França, Lituânia e Polônia enviaram delegações à histórica Marcha em defesa da vida inocente.




Nenhum comentário: