OFERTAS

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Eduardo Cunha alegar que tem aneurisma cerebral semelhante ao que matou Marisa Letícia


O plenário do Supremo Tribunal Federal incluiu na pauta da sessão desta quarta-feira o julgamento de um pedido de liberdade do ex-deputado Eduardo Cunha. Preso desde outubro do ano passado, o ex-todo-poderoso alega que sua detenção, ordenada pelo juiz Sergio Moro, é ilegal. Pela primeira vez, o ministro Edson Fachin atuará como relator da Lava Jato.

Em Curitiba, Eduardo Cunha prestou seu primeiro depoimento a Sergio Moro. Ao final, leu uma carta. Pediu a revogação de sua prisão. Alega carregar na cabeça um aneurisma cerebral semelhante ao que matou Marisa Letícia, a mulher de Lula. E pediu para ser solto. Destituído de todo o poder que já possuiu, Cunha recorre ao “cotadismo” para tentar se livrar do cárcere. Como se não houvesse enfermos atrás das grades.

Nenhum comentário: