OFERTAS

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

SINTE/RN denuncia na Câmara perseguição à categoria pela gestão do prefeito Marconi Barreto


SINTE/RN ENDURECE POSTURA CONTRA O PREFEITO MARCONI BARRETO E DENUNCIA EM AUDIÊNCIA NA CÂMARA, PERSEGUIÇÃO À CATEGORIA

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação-SINTE/RN Regional de Ceará-Mirim, esteve nesta terça-feira 21/02 realizando Audiência Pública com os vereadores, para denunciar o que classifica de perseguição à categoria pela atual gestão do prefeito Marconi Barreto-PSDB.

De acordo com os educadores, o prefeito vem atacando a categoria sem procurar dialogar, tirando-lhes o direito das seis horas de trabalho, corridas, que é uma conquista dos trabalhadores.
Além disso, o prefeito, através de Decreto, instituiu o ponto eletrônico em todos os estabelecimentos de ensino, que praticamente prejudica o desempenho das atividades dos servidores.

Diante disso, o SINTE/RN endurece sua postura contra tais atitudes do gestor municipal, e cobra condições de trabalho, respeito, autonomia das escolas, dignidade, transparência, diálogo, permanência dos direitos conquistados a exemplo da jornada de seis horas corridas.

De acordo com Francinilda Nogueira, servidora e integrante do SINTE/RN, o prefeito está desrespeitando a categoria.

“Se é guerra que Marconi quer, guerra Marconi terá”, disse a educadora durante a audiência com os vereadores.

Segundo ela, Marconi quer desviar o foco da crise na educação do município. “Ou o prefeito revoga o Decreto do ponto eletrônico ou vai ter problema com essa categoria”, disse Francinilda.

Também durante a audiência, que lotou toda a galeria e dependências da Casa Legislativa, o sindicato apresentou um documentário em fotos recentes denunciando o caos de abandono e falta de manutenção e conservação em que se encontram as escolas da rede de ensino do município na zona urbana, estando todas sem condições para o início do ano letivo 2017 previsto para o começo do próximo mês de março.

A falta de atenção à educação por parte do secretário titular da pasta, Carlos Eduardo Cardoso, também constou como ponto principal da pauta, durante a audiência.

APOIO

Os vereadores declararam apoio às reivindicações dos trabalhadores em educação, que vêm lutando contra o que chamam de perseguição à categoria pela gestão do prefeito Marconi Barreto.

A vereadora Ângela Aquino-PTC, que foi secretária de educação do município, lamenta a situação em que se encontram atualmente os estabelecimentos de ensino, e lembrou que deixou o cargo de titular da pasta em março de 2016.

“Fiz o que pude durante o período no qual estive secretária. Em relação à jornada de trabalho, moro aqui em Ceará-Mirim há mais de 30 anos, e sempre a realidade foi essa, de seis horas, tendo jamais colocado qualquer dificuldade. Não vejo prejuízo nenhum ao município”, disse a vereadora, destacando ainda: “Estou com o meu mandato a disposição, e vou estar do lado de vocês, categoria que também faço parte. Podem contar com o meu apoio”, ressaltou a vereadora Ângela Aquino.

Já o presidente da Casa, vereador Ronaldo Venâncio-PV, reiterou que o apoio à categoria já havia sido declarado por ocasião do primeiro encontro com os educadores e um grupo de aprovados no último concurso público do município, no último dia 06 de fevereiro na Casa Legislativa.

“A institucionalidade tem de ser preservada, com diálogo, o que não está existindo nas mais diversas áreas”, disse o presidente Ronaldo.

Mas para ele, a Casa precisa de fundamentação jurídica. “Estamos comprometidos com essa causa, mas precisamos de fundamentação jurídica para dar suporte à essa Casa no sentido de não incorrermos em lapso. Precisamos dar fundamentação ao que pretendemos decidir”, ressaltou o edil.

Para Ronaldo, a situação das escolas apresentada pelo SINTE/RN é muito preocupante.
O parlamentar destaca, porém, que nesse caso, os vereadores podem fazer visitas aos estabelecimentos e questionar o governo para que encontre uma solução para o problema.

Os parlamentares entendem que a atual gestão precisa ter sensibilidade com a situação, haja vista que uma possível greve não será benéfica para ninguém, principalmente para as crianças que poderão ser prejudicadas.

Os vereadores demonstraram, em sua maioria, solidariedade aos educadores e estão convictos de que o ensino deve melhorar, que os professores devem ser incentivados e as escolas precisam oferecer condições tanto para o professor, quanto para que o aluno tenha a maior produtividade possível em sala de aula.

O debate, feito entre vereadores e representantes do SINTE/RN resultou em vários encaminhamentos, entre eles: audiência da categoria e os vereadores com o prefeito, visitas às escolas, e que o prefeito Marconi Barreto esclareça a categoria sobre a sua declaração em uma emissora de rádio local, de que a merenda escolar estaria sendo desviada.

A audiência pública foi solicitada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação-SINTE/RN Regional de Ceará-Mirim.

Câmara Municipal de Ceará-Mirim
Assessoria de Comunicação Social
Jorge Moreira

3 comentários:

Anônimo disse...

Meu Deus que expressão para uma pessoa que entra em uma sala de aula para mostrar conhecimentos para os alunos , dizer :
"SE É GUERRA QUE QUER , GUERRA TERÁ ".
Um belo INSENTIVO PARA GERAÇÃO DE VIOLÊNCIA.

Anônimo disse...

Não e apenas a educação que esta clamando por socorro . Mas tbem a área da saúde. Com os frequentes abusos e autoritarismo do novo prefeito. Por favor façam uma reportagem com o pessoal dessa categorias e veram como eles estão incoformados com as novas regras impostas aos trabalhadores.

Anônimo disse...

Pois é