quarta-feira, 7 de março de 2018

Avanço do Brasil depende de melhora da governança e do fim da insegurança jurídica, diz presidente da CNI em entrevista exclusiva


Robson Braga de Andrade conversou com a jornalista Thais Herédia na inauguração do estúdio multimídia da Confederação Nacional da Indústria. Ele falou sobre a necessidade de reformas estruturais para o crescimento do setor e do Brasil

Um dos pontos fortes do Mapa Estratégico da Indústria 2018-2022 – documento lançado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) nesta semana e que apresenta propostas para o crescimento do país - é a governança do Brasil. “O estado brasileiro não vai conseguir evoluir se nós não mudarmos agora”, afirmou o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, em entrevista exclusiva à Agência CNI de Notícias (assista aqui).

O empresário conversou com a jornalista Thais Herédia no novo estúdio multimídia da Confederação, em Brasília. “Os problemas são os mesmos, mas a prioridade muda. No mapa anterior (elaborado em 2013), a gente não estava muito preocupado com governança e reforma do estado, mas hoje isso é fundamental porque nós temos uma insegurança jurídica que começa nos mais altos níveis da República”, destacou Andrade.

As mudanças necessárias a empresários e governo para acompanhar a quarta revolução industrial, o atual cenário econômico, as ações do Sistema Indústria para tornar o país mais competitivo e as transformações na qualificação profissional também foram debatidas com o presidente da CNI. 

“Hoje, no mundo inteiro, o crescimento de diversos setores vai no sentido de automação, de robotização e de desemprego. Então temos que pensar em como vamos gerar emprego, e aí vem a Indústria 4.0. Isso é uma realidade que veio para ficar. Então nós, no SENAI e no SESI, estamos nos preparando para qualificar os trabalhadores e as empresas para que eles estejam prontos para enfrentar os desafios da modernização da economia”, afirmou.

MAPA ESTRATÉGICO DA INDÚSTRIA – A entrevista faz parte do especial multimídia sobre o Mapa Estratégico da Indústria 2018-2022. Elaborado pela CNI com a participação de líderes empresariais, o estudo é uma agenda para o Brasil, pois visa à construção, nos próximos anos, de uma economia mais produtiva, inovadora e integrada ao mercado internacional. O documento será entregue aos candidatos à presidência da República.

Diante do atual cenário político econômico, e considerando as novas tendências mundiais e nacionais, a edição 2018-2022 do Mapa Estratégico da Indústria elegeu 11 fatores-chaves para o Brasil ganhar competitividade de forma sustentável: segurança jurídica; ambiente macroeconômico; eficiência do estado; governança e desburocratização; educação; financiamento; recursos naturais e meio ambiente; tributação; relações do trabalho; infraestrutura; política industrial, de inovação e de comércio exterior; produtividade e inovação na empresa.

SAIBA MAIS - Acesse o site especial do Mapa para conhecer as propostas do setor industrial e conferir a série de reportagens que a Agência CNI de Notícias publica até 22 de maio. Os 12 capítulos da série são um convite  à reflexão sobre o futuro da indústria e do Brasil.

Superintendência de Jornalismo da CNI

Nenhum comentário: