terça-feira, 30 de outubro de 2018

Bolsonaro X Rede Globo


Bolsonaro está, implicitamente, deixando a Globo de lado e emissora teme por desestruturação econômica e corte de publicidade do governo. Enquanto a emissora carioca teme por futuro incerto, Record está recebendo grande apoio do novo presidente.

Ainda quando candidato o PSL,  ele dava entrevistas para as outras emissoras enquanto, mais de uma vez, criticava a Globo. Em entrevista à Globo News, por exemplo, ele afirmou: “”Eu quero aqui saldar a memória do seu Roberto Marinho. Editorial de capa do jornal O Globo de 7 de outubro de 1984, abre aspas: ‘Participamos da revolução de 1964, identificados com os anseios nacionais de preservação das instituições democráticas, ameaçadas pela radicalização ideológica, distúrbios sociais, greves e corrupção generalizada’. Fecha aspa”.

Após ser esfaqueado, todos ficaram sedentos por uma entrevista com ele. Bolsonaro surpreendeu ao conceder a primeira entrevista para a Record TV e a preferência começou a ser evidenciada. A Globo, desta vez, foi completamente ignorada.

Com a vitória, Bolsonaro deu entrevista exclusiva para as principais emissoras do país e mais uma vez a maior emissora do país foi deixada de lado. A primeira emissora que Bolsonaro concedeu entrevista foi a Record.

“Record TV transmite, na noite desta segunda-feira, 29/10, a primeira entrevista exclusiva com o presidente eleito, Jair Bolsonaro”, anunciou o canal em nota enviada à imprensa.  No total, o novo presidente falou por cerca de 90 minutos em entrevistas ao vivo com a Record, 33 minutos; SBT, 8 minutos; Globo, 12; e gravadas com Band, 28; e RedeTV! com 7 minutos.

Enquanto as entrevistas exclusivas foram exibidas durante o dia nas emissoras de São Paulo, a Globo só conseguiu entrevistar novo presidente no Jornal Nacional, durante a noite. Entrevista em que Jair Bolsonaro afirmou que irá retirar as propagandas na Folha de São Paulo alegando que o veículo não é sério.  Após essa afirmação, passaram a questionar se a Globo não teria o mesmo destino.

Nenhum comentário: